Arte decadente


O circo tem conseguido sobreviver, apesar das transformações da sociedade e, de fato, do próprio mundo, além dos costumeiros desafios relacionados à sua manutenção.

Reconhecidamente suas apresentações têm ficado cada vez mais elaboradas, e mesmo a tecnologia tem sido vista nesse meio como forte aliada.

Aliás, há shows que raiam a produções cinematográficas tamanha a qualidade dos efeitos, das performances etc.

Por outro lado, é preciso reconhecer que nem todo lugar está apto a receber tais espetáculos, não só pelos recentes desafios na área da saúde, más também pelos requisitos geográficos, estruturais...

Assim, causa certa perplexidade que no coração do País tenha sido instalado uma espécie de picadeiro, onde toda sorte de artistas têm tentado se apresentar, a despeito do aparente predomínio de embusteiros, senão mercenários.

O ideal seria que esse mambembe inoportuno e até desnecessário, que só serve para dar alguma visibilidade à decadência, principalmente moral, fosse desmontado, deixando espaço para a exposição ou manifestação da genuína arte circense, aquela que cumpre a sua função em todos os aspectos.