As nossas razões



Sem bem utilizada, a comunicação é um recurso valiosíssimo. Mas também pode, dependendo dos detalhes do caso concreto, ser uma arma potencialmente mortal, sempre que mal utilizada.

Como intuiu o pensador, "o coração tem razões que a própria razão desconhece", sendo, aliás, inúmeros os motivos disso, o que se evidencia principalmente quando voltamos a atenção ao que nos escapa à consciência.

Não é difícil perceber que a nossa expressão é falha, que, por mais que nos esforcemos, nossas tentativas não darão conta das dimensões da realidade, que não pode ser apreendida pela linguagem descritiva.

Além do mais, mesmo que buscássemos a comunicação rigorosa, o preciosismo acabaria por inviabilizá-la, servindo, quando muito, aos que se enamoram de si mesmos, enquanto evitam ou combatem tudo o que lhes ultrapassa.

Neste sentido, creio que o fundamental seja, enfim, o coração com que se faz o que quer que seja na vida, já que a nossa argumentação, na melhor das hipóteses, serviria apenas para tentar justificar o que faríamos de um jeito ou de outro.



Veja mais