Teologia da Missão Integral


Visto com extrema objetividade, a Teologia da Missão Integral nada mais é que a tentativa de tornar aparentemente defensável ou palatável ao público evangélico os pressupostos marxistas já rechaçados pela história e repudiados por quem se dispõe a examinar atentamente os sofismas que pretensos teólogos apresentam na vã tentativa de difundir os equívocos ou as heresias desse movimento, que é, acima de tudo, político, à semelhança da abominável Teologia da Libertação. Tais mestres do engodo costumam usar e abusar de conceitos que precisam ser bem compreendidos pelo estudioso, interessado ou alcançado pela temática, em benefício de sua adequada imunização aos chavões que, embora se travistam de evangelho puro e simples, representariam, na realidade, outro evangelho, bem nos moldes dos desvios e das falsidades acerca das quais o apóstolo alertou logo no início de formação do cristianismo. Apesar disso, no fundo, é relativamente fácil identificar essa tendência em livros, mensagens, instruções etc., bastando que se atente ao repertório oriundo do marxismo cultural que é usualmente diluído nas abordagens dos lobos de plantão, na torpe defesa da Missão Integral da Igreja, leia-se, salvação econômica dos explorados da sociedade capitalista: ecumenismo; classe ou ação social, opressão; trabalhador, desigualdade, meio ambiente, capital, conservador, elite... O tragicômico nessa história é que os apóstolos, bispos, pastores, teólogos etc. que defendem os absurdos desse sistema não abrem mão dos dízimos e das ofertas, torcendo quase que à exaustão os textos que invocam para defender o indefensável, avançando, assim, em sua verdadeira obra, também já denunciada desde longa data: "O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir...". Além do mais: Eles "pertencem ao seu pai e querem realizar os desejos dele. Ele jamais se apoiou na verdade, porque não existe verdade alguma nele. Quando ele profere uma mentira, fala do que lhe é próprio, pois é um mentiroso e pai da mentira". Enfim: "É possível alguém colher uvas de um espinheiro ou figos das ervas daninhas? Assim sendo, toda árvore boa produz bons frutos, mas a árvore ruim dá frutos ruins. Portanto, pelos seus frutos os conhecerão".



Veja mais artigos